Posted in Destaque, Notícias
21 de Dezembro de 2019

UE mobiliza 15,2 milhões de euros de ajuda humanitária a favor da América Latina e Caraíbas

A União Europeia afetou um montante adicional de 15,2 milhões de euros de ajuda humanitária a favor da segurança alimentar, da preparação para epidemias e do apoio às populações nas zonas de conflito da América Latina e das Caraíbas.

A ação centrar-se-á na prestação de ajuda alimentar a Salvador, Guatemala e Honduras, ao apoio aos venezuelanos deslocados e às suas comunidades de acolhimento, bem como à satisfação de necessidades básicas e apoio nutricional no Haiti. Este programa de apoio complementa o financiamento de 88,548 milhões de euros já anunciado este ano e inclui um montante adicional de 286 mil euros para apoiar a preparação para enfrentar as epidemias nos países da América Central afetados pelo dengue.

As más colheitas repetidas causadas pela seca e a enorme subida dos preços dos produtos alimentares estiveram na origem de uma grave crise alimentar em Salvador, na Guatemala e nas Honduras, tendo provocado um aumento dos casos de subnutrição. As pessoas que necessitam de ajuda alimentar urgente são também, frequentemente, vítimas da violência organizada que contribui para a migração forçada em grande escala por toda a região. Deste financiamento adicional, 5 milhões de euros destinam-se a prestar assistência vital a curto prazo a, pelo menos, 80 000 pessoas nas zonas mais afetadas desses países.

O ressurgimento dos conflitos internos e a intensificação dos ataques armados contra civis provocou um aumentou do número de pessoas que necessitam de assistência humanitária na Colômbia, o que, por sua vez, conduziu a um aumento das deslocações internas e a um afluxo de refugiados para o Equador vizinho. Neste contexto, a Colômbia acolhe também 1,6 milhões de refugiados e migrantes venezuelanos. Uma parcela de 5 milhões de euros deste financiamento suplementar permitirá prestar assistência a, pelo menos, 60 000 pessoas afetadas por conflitos. Os fundos serão aplicados dedicando especial atenção às zonas de conflito onde estão, em paralelo, a chegar migrantes venezuelanos.

No Haiti, a grave agitação social associada à escalada da crise política e económica paralisou todas as atividades socioeconómicas do país, incluindo as importações. A acumulação de anos de perdas de colheitas devido à seca e às inundações fez com que os alimentos se tornassem inacessíveis para as famílias mais pobres. Esta situação de grave insegurança alimentar é acompanhada por ameaças crescentes ligadas à violência organizada que se está a propagar a todo o país. Do total dos fundos suplementares, 5 milhões de euros cobrirão as necessidades essenciais de cerca de 66 000 pessoas nas zonas mais afetadas. Será também prestada assistência nutricional vital a cerca de 5 000 crianças com menos de 5 anos de idade que sofrem de subnutrição grave.

Para mais informações

Ficha informativa sobre as Caraíbas

Ficha informativa sobre a América Central e o México

Ficha informativa sobre a Colômbia

Ficha informativa sobre o Haiti

Ficha informativa sobre a América do Sul

ip_19_6799