Posted in Destaque, Notícias
3 de Maio de 2021

Eurobarómetro: portugueses mais preocupados com a situação económica e muito confiantes nas instituições europeias

O mais recente relatório sobre a opinião pública em Portugal relativamente à União Europeia, extraído do Eurobarómetro n.º 94, indica um elevado aumento de preocupação dos portugueses com a situação económica e confirma os níveis muito elevados de confiança dos portugueses nas instituições europeias. O trabalho de campo foi realizado entre os dias 19 de fevereiro e 8 de março de 2021, um período caracterizado pelo desagravamento da terceira vaga de infeções por coronavírus no país, que começara após o Natal de 2020.

O Eurobarómetro do inverno de 2020/2021 mostra relativamente a Portugal níveis muito elevados de confiança nas instituições europeias, que são muito superiores à média europeia, acompanhados pela recusa generalizada da ideia de que Portugal poderia enfrentar melhor o futuro fora da UE. A esta circunstância soma-se o facto de a maioria dos portugueses estar satisfeita com as medidas europeias para combater os efeitos da pandemia e considerar que a UE está a desempenhar um papel fundamental no acesso às vacinas contra a COVID-19 no país.

A análise dos dados recolhidos lança luz sobre o considerável nível de preocupação dos portugueses acerca da situação económica do país, que alcança valores muito superiores aos da grande maioria dos Estados‑Membros da UE (Portugal é o terceiro país em que a referência à situação económica é mais frequente). Os portugueses destacam claramente a situação da economia e o desemprego como os dois principais problemas do país e, na sua grande maioria, concordam em que a pandemia da COVID-19 trouxe graves consequências para a economia portuguesa, sendo poucos os que avaliam a situação económica atual como positiva. Como sinais adicionais da preocupação dos portugueses com a economia, constata-se ser em Portugal onde mais frequentemente se expressou a opinião de que a recuperação dos danos económicos causados pela economia ao país só se dará depois de 2022, e também o facto de quase metade dos cidadãos nacionais destacar como principal prioridade da UE o incentivo à recuperação económica dos Estados-Membros. Merece destaque o facto de que os impostos preocupam uma maior proporção de inquiridos em Portugal (16 %) do que no cômputo geral dos Estados-Membros (5 %), sendo que no nosso país a referência a este problema quadruplicou desde o verão de 2020.

No Eurobarómetro do inverno de 2020/2021, é visível uma redução substancial da satisfação dos portugueses com o funcionamento da democracia e da confiança no Governo, bem como, em menor grau, da confiança nos partidos políticos e no parlamento português. Ainda assim, 48 % dos inquiridos declararam estar satisfeitos com a maneira como a democracia funciona em Portugal, valor consideravelmente inferior ao observado no verão de 2020, mas superior ao observável em vários Estados-Membros do Leste e do Sul da Europa. Os portugueses são também maioritariamente céticos em relação à administração pública, à justiça e ao sistema judicial nacionais.

Destaque-se ainda que os portugueses estão menos satisfeitos com as medidas tomadas pelo Governo para lidar com a pandemia do que no verão de 2020, sendo a insatisfação particularmente acentuada junto dos desempregados e dos trabalhadores independentes. Apesar disso, as medidas de restrição impostas pelas autoridades públicas em Portugal merecem o apoio da maioria dos inquiridos.

Mais informações

Pode encontrar os resultados do Eurobarómetro Standard 94 – Inverno 2020-2021, assim como os vários relatórios nacionais nesta página dedicada. O relatório completo relativo a Portugal encontra-se aqui.

Comunicado de imprensa: Eurobarómetro: confiança na União Europeia aumentou desde o verão passado e Portugal tem os níveis mais elevados | Portugal (europa.eu)