Posted in Destaque, Notícias
23 de Abril de 2021

Declaração da presidente Ursula von der Leyen após a sua visita ao local de produção da Pfizer Global em Puurs, na Bélgica

Declaração da presidente Ursula von der Leyen, do primeiro-ministro da Bélgica, Alexander De Croo, do presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla, e do cofundador e diretor médico da BioNTech, Özlem Türeci, após a visita à fábrica de Pfizer em Puurs, Bélgica.

Após a sua visita ao local de produção da Pfizer Global em Puurs, na Bélgica, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen afirmou: «Estamos a reunir-nos hoje num local que simboliza três verdadeiras histórias europeias. Em primeiro lugar, de facto, a campanha europeia de vacinação está agora a acelerar. Em segundo lugar, a Europa está a liderar a nível mundial no que se refere ao ARN mensageiro, revolucionário e salvador de vidas. E, em terceiro lugar, no meio de uma crise sanitária sem precedentes, a Europa é campeã mundial das vacinas, disponibilizando vacinas ao resto do mundo.

Permitam-me que comece com a campanha de vacinação. Esta semana, passámos o limiar de 150 milhões de doses entregues. Em termos de vacinação, já passámos os 123 milhões de vacinas administradas. Com isto, a União Europeia está entre os três primeiros em termos de vacinação contra a COVID-19 em todo o mundo, a seguir aos Estados Unidos e à China. Assim, por outras palavras: a campanha de vacinação da UE está a andar!

É verdade, tivemos dificuldades logo no início: atrasos e problemas de produção. Mas conseguimos combater estas dificuldades com a nossa vasta carteira de vacinas e também graças a fornecedores fortes e fiáveis, como a BioNTech-Pfizer. Com efeito, a principal vacina utilizada até agora na União Europeia é produzida aqui mesmo, em Puurs, na Bélgica – uma verdadeira potência no que toca às vacinas. E com os enormes esforços da BioNTech-Pfizer e a aceleração das entregas de vacinas, estou agora confiante de que teremos doses suficientes para vacinar 70 % da população adulta da União Europeia já em julho. E esta tecnologia pioneira que vemos aqui vai com certeza ajudar-nos. (…)

Estamos a trabalhar com a BioNTech-Pfizer sobre um novo contrato. Este contrato vai prever a entrega de 1,8 mil milhões de doses entre 2021 e 2023. Ficará concluído nos próximos dias. Este contrato vai assegurar as doses necessárias para administrar doses de reforço destinadas a aumentar a nossa imunidade contra este vírus. Vai proporcionar vacinas adaptadas às variantes que já não respondem às atuais vacinas. E deve permitir-nos vacinar — se necessário e seguro — crianças e adolescentes. (…)

E isto leva-me ao meu terceiro e último ponto: este lugar é também um símbolo da equidade e da abertura da União Europeia.A Europa produz vacinas para os europeus e para os cidadãos em todo o mundo. Exportámos mais de 155 milhões de doses de vacinas para mais de 87 países a nível mundial desde dezembro.

Para sermos muito claros: exportámos tanto quanto entregámos para os cidadãos da UE. Somos a farmácia do mundo. E nós, europeus, orgulhamo-nos disto e convidamos outros a juntarem-se. Porque todos sabemos: ninguém ficará seguro até que todos estejam seguros.»

A declaração completa está disponível em; declaração da presidente: fábrica da Pfizer (europa.eu)