Posted in Destaque, Notícias
25 de Outubro de 2021

União Europeia da Saúde: Comissão estabelece uma carteira dos dez tratamentos para a COVID-19 mais promissores

Concretizando uma ação-chave da Estratégia da UE em matéria de terapêuticas, a Comissão estabelece uma carteira de dez potenciais terapêuticas contra a COVID-19. A lista estabelecida baseia-se em pareceres científicos independentes e centra-se nos tratamentos para a COVID-19 candidatos mais suscetíveis de serem autorizados e, por conseguinte, de estarem brevemente disponíveis no mercado europeu. Estas terapêuticas proporcionarão tratamento aos doentes de toda a UE, tão rapidamente quanto possível, desde que a sua segurança e eficácia tenham sido confirmadas pela Agência Europeia de Medicamentos.

A vacinação contra a COVID-19 oferece a melhor proteção preventiva contra a infeção, as formas mais graves da doença, a perda de vidas e as consequências a longo prazo da doença. Embora a vacinação seja a melhor forma de pôr fim à pandemia e de regressar a uma vida normal, paralelamente, estamos a garantir que estão disponíveis terapêuticas contra a COVID-19 para tratar as pessoas infetadas.

Margaritis Schinas, vice-presidente da Promoção do Modo de Vida Europeu, declarou: Enquanto continuamos a enfrentar o desafio da COVID-19, é importante protegermo-nos, para além da vacinação. O estabelecimento de dez terapêuticas contra a COVID-19 garantirá que os cidadãos recebem os tratamentos mais promissores contra o vírus.

Stella Kyriakides, comissária responsável pela Saúde e Segurança dos Alimentos, declarou: A vacinação é a única ferramenta para evitar as hospitalizações e mortes provocadas pela COVID e, como tal, é o único caminho para pôr fim a esta pandemia. Entretanto, contudo, os doentes com COVID-19 necessitam efetivamente de tratamentos seguros e eficazes para combater a infeção, melhorar as suas perspetivas de recuperação rápida, reduzir as hospitalizações e, sobretudo, impedir a perda de vidas. Já assinámos quatro contratos públicos conjuntos relativos a diferentes tratamentos da COVID-19 e estamos preparados para negociar novos contratosO nosso objetivo é autorizar pelo menos três terapêuticas nas semanas que se seguem e, eventualmente, mais duas até ao final do ano, bem como proporcionar um acesso tão rápido quanto possível dos Estados-Membros a essas terapêuticas.

A Estratégia da UE em matéria de terapêuticas contra a COVID-19 é parte integrante do trabalho de construção de uma União Europeia da Saúde forte e inspira-se na bem-sucedida estratégia da UE em matéria de vacinas.

Um grupo de peritos científicos independentes analisou 82 terapêuticas candidatas, em fase avançada de desenvolvimento clínico, tendo identificado dez candidatas como sendo as mais promissoras para integrar a carteira de tratamentos da COVID-19 da UE, tomando em conta a necessidade de diferentes tipos de produtos para diferentes populações de doentes e diferentes fases e graus de gravidade da doença. A lista de dez está dividida em três categorias de tratamentos e continuará a evoluir à medida que surjam novos dados científicos:

  • Anticorpos monoclonais antivirais mais eficazes nas primeiras fases da infeção:
    • Ronapreve, uma combinação de casirivimab e imdevimab, dois anticorpos monoclonais, da Regeneron Pharmaceuticals e da Roche.
    • Xevudy (sotrovimab), da Vir Biotechnology e da GlaxoSmithKline.
    • Evusheld, uma combinação de tixagevimab e cilgavimab, dois anticorpos monoclonais, da AstraZeneca.
  • Antivirais orais para utilização tão rápida quanto possível após a infeção:
    • Molnupiravir, da Ridgeback Biotherapeutics e da MSD.
    • PF-07321332, da Pfizer.
    • AT-527, da Atea Pharmaceuticals e da Roche.
  • Imunomoduladores para o tratamento de doentes hospitalizados:
    • Actemra (tocilizumab), da Roche Holding.
    • Kineret (anacinra), da Swedish Orphan Biovitrum.
    • Olumiant (baricitinib), da Eli Lilly.
    • Lenzilumab, da Humanigen.

Próximas etapas

Seis das terapêuticas selecionadas estão já a ser objeto de exame contínuo ou apresentaram um pedido de autorização de introdução no mercado à Agência Europeia de Medicamentos. Poderão receber a autorização em breve, desde que os dados finais demonstrem a sua qualidade, segurança e eficácia.

A seleção das dez candidatas é independente e não substitui a avaliação científica efetuada pela Agência Europeia de Medicamentos ou a autorização dos medicamentos pela Comissão Europeia. Um produto selecionado pode não ser autorizado se os dados científicos disponíveis não cumprirem os requisitos regulamentares.

Todas as outras quatro candidatas da lista receberam aconselhamento científico da Agência Europeia de Medicamentos e, uma vez recolhidos dados clínicos suficientes, poderão ser iniciados novos exames contínuos.

Como anunciado na Estratégia da UE em matéria de terapêuticas, um estímulo à inovação terapêutica irá apoiar estas terapêuticas durante as fases iniciais de desenvolvimento.

A Autoridade Europeia para a Preparação e Resposta a Emergências Sanitárias (HERA) criará uma plataforma interativa de mapeamento das terapêuticas promissoras. Foi lançado um concurso para a conceção da plataforma.

Em novembro, será organizado um evento pan-europeu para a criação de parcerias no âmbito da produção industrial de terapêuticas, que irá ajudar a acelerar o desenvolvimento de medicamentos novos e reorientados para as terapêuticas contra a COVID-19, bem como a mobilizar a capacidade de fabrico de produtos farmacêuticos da UE.

Contexto

Estratégia da UE em matéria de terapêuticas contra a COVID-19 complementa a Estratégia da UE em matéria de vacinas, que continua a ser o principal instrumento da UE para pôr fim à pandemia, prevenindo e reduzindo a transmissão de casos, bem como as taxas de hospitalização e as mortes causadas pela doença.

A Estratégia em matéria de terapêuticas visa criar uma ampla carteira de terapêuticas contra a COVID-19, com o objetivo de disponibilizar três a cinco novas terapêuticas até ao final do ano. Abrange todo o ciclo de vida dos medicamentos, desde a investigação, passando pelo desenvolvimento, a seleção de candidatos promissores, a aprovação regulamentar rápida, o fabrico e a disponibilização para utilização final. Uma primeira lista de cinco terapêuticas promissoras foi publicada em junho de 2021.

A estratégia faz parte de uma União Europeia da Saúde forte, que aplica uma abordagem coordenada a nível da UE para melhor proteger a saúde dos nossos cidadãos, dotar a UE e os seus Estados-Membros de meios para melhor prevenir e combater futuras pandemias e aumentar a resiliência dos sistemas de saúde europeus.

Mais informações

Perguntas e respostas: lista das dez terapêuticas mais promissoras

Relatório do subgrupo «Terapêuticas contra a COVID-19»: carteira de terapêuticas contra a Covid-19 – lista das dez candidatas mais promissoras

Resposta da Comissão Europeia ao coronavírus: terapêuticas

Agência Europeia de Medicamentos — terapêuticas contra a COVID-19

Feasibility study, Design and Prototype Development for a Mapping Platform on COVID-19 Therapeutics in the EU