Posted in Notícias
10 de Dezembro de 2018

UE intensifica luta contra a desinformação

Para proteger os seus sistemas democráticos e debates públicos e tendo em vista as eleições europeias de 2019, bem como uma série de eleições nacionais e locais nos Estados-Membros até 2020, a União Europeia apresenta um plano de ação para intensificar os esforços para combater a desinformação na Europa e no resto do mundo.

Para fazer o balanço dos progressos realizados até à data e no seguimento do apelo lançado pelos dirigentes europeus em junho de 2018 para proteger os sistemas democráticos da União, a Comissão Europeia e a Alta Representante estabelecem medidas concretas para combater a desinformação, incluindo a criação de um sistema de alerta rápido e o acompanhamento rigoroso da aplicação do Código de Conduta assinado pelas plataformas em linha. O Plano de Ação prevê igualmente um aumento dos recursos consagrados à questão.

Intensificar a deteção, a resposta e a sensibilização

O Plano de Ação — elaborado em estreita cooperação com a Comissária responsável pela Justiça, Consumidores e Igualdade de Género, Věra Jourová, o Comissário responsável pela União da Segurança, Julian King, e a Comissária responsável pela Economia e Sociedade Digitais, Mariya Gabriel – centra-se em quatro domínios essenciais para desenvolver de forma eficaz as capacidades da UE e reforçar a cooperação entre os Estados-Membros e a UE:

  • Melhor deteção: o Grupo de Ação para a Comunicação Estratégica da UE e a Célula de Fusão da UE contra as Ameaças Híbridas no Serviço Europeu para a Ação Externa (SEAE), bem como as delegações da UE nos países vizinhos serão reforçados com um significativo número adicional de pessoal especializado e de ferramentas de análise de dados. O orçamento da comunicação estratégica do SEAE para combater a desinformação e aumentar a sensibilização para o seu impacto adverso deverá aumentar para mais do dobro, passando de 1,9 milhões de euros em 2018 para 5 milhões de euros em 2019. Os Estados-Membros da UE devem complementar estas medidas, reforçando os seus próprios meios de luta contra a desinformação.
  • Resposta coordenada: será criado um sistema de alerta rápido específico entre as instituições da UE e os Estados-Membros para facilitar a partilha de dados e avaliações de campanhas de desinformação e a emissão de alertas sobre ameaças de desinformação em tempo real. As instituições da UE e os Estados-Membros incidirão igualmente na comunicação proativa e objetiva sobre os valores e as políticas da União.
  • Plataformas em linha e indústria: os signatários do Código de Conduta devem aplicar rápida e eficazmente os compromissos assumidos no âmbito daquele Código, centrando-se em ações urgentes para as eleições europeias de 2019. Tal inclui, em especial, assegurar a transparência da publicidade política, intensificar os esforços para encerrar contas falsas ativas, rotular as interações não humanas (mensagens propagadas automaticamente por «bots») e cooperar com os verificadores de factos e os investigadores académicos para detetar campanhas de desinformação e tornar mais visível e generalizado o conteúdo dos factos verificados. A Comissão, com a ajuda do grupo europeu de reguladores responsáveis pelos serviços de comunicação social audiovisual, assegurará um acompanhamento rigoroso e contínuo da execução dos compromissos.
  • Sensibilizar e capacitar os cidadãos: para além das campanhas de sensibilização específicas, as instituições da UE e os Estados-Membros promoverão a literacia mediática através de programas específicos. Será prestado apoio a equipas multidisciplinares nacionais de verificadores e investigadores independentes para detetar e denunciar campanhas de desinformação em redes sociais.

Por último, a Comissão apresenta também o seu relatório sobre os progressos realizados na luta contra a desinformação em linha desde a apresentação da sua comunicação em abril de 2018.

Próximas etapas

A Comissão Europeia e a Alta Representante vão elaborar e aplicar as medidas definidas no plano de ação, em estreita cooperação com os Estados-Membros e o Parlamento Europeu.

Tendo em vista as eleições europeias, o Sistema de Alerta Rápido será criado até março de 2019, sendo complementado por um reforço adicional dos recursos pertinentes.

Os signatários do Código de Conduta terão de apresentar a primeira atualização de execução à Comissão até ao final de 2018, documento que a Comissão publicará em janeiro de 2019. Entre janeiro e maio, as plataformas em linha terão de apresentar um relatório mensal à Comissão. A Comissão procederá também, nos primeiros 12 meses, a uma avaliação global da aplicação do Código de Prática. Caso a execução e o impacto do Código de Prática não sejam satisfatórios, a Comissão pode propor outras medidas, incluindo de natureza regulamentar.

Ligações úteis:

Plano de Ação contra a Desinformação

Perguntas e Respostas: UE intensifica luta contra a desinformação

Infográfico: Plano de Ação contra a Desinformação

Comunicação – Combater a desinformação em linha: uma estratégia europeia

Relatório sobre os progressos realizados na aplicação da Comunicação de abril

Sítio Web EUvsDisinfo

Código de Prática contra a desinformação em linha e roteiros de execução

Eurobarómetro sobre democracia e eleições