Posted in Destaque, Notícias
12 de Junho de 2020

Segurança rodoviária: estradas europeias estão mais seguras, mas progressos continuam lentos

De acordo com os dados preliminares publicados pela Comissão Europeia, menos pessoas perderam a vida nas estradas da UE em 2019 em comparação com anos anteriores. Portugal está entre os oitros países da UE que registaram uma redução de mortes na estrada superior à média, com uma diminuição de 33% em relação a 2010.

Cerca de 22 800 pessoas perderam a vida em acidentes rodoviários no ano passado, o que representa quase menos 7 000 vítimas mortais do que em 2010 – ou seja uma diminuição de 23 %. Em comparação com 2018, este número diminuiu 2 %. Com uma média de 51 vítimas mortais por cada milhão de habitantes, a Europa continua a ser, de longe, a região mais segura do mundo em termos de segurança rodoviária.

Adina Vălean, comissária dos Transportes, declarou: «Estradas europeias sem mortes e sem feridos graves até 2050. É este o nosso objetivo. Pretendemos reduzir para metade o número de vítimas mortais e de feridos graves até 2030, e acreditamos que o nosso objetivo pode ser alcançado. No passado, a UE registou uma diminuição substancial do número de vítimas mortais em acidentes rodoviários, mas nos últimos anos os números estagnaram. Além disso, as disparidades entre os países continuam a ser acentuadas. Só graças a uma combinação de medidas legislativas, financiamento adequado, normas relativas a veículos e infraestruturas, digitalização e intercâmbio de boas práticas poderemos alcançar o nosso objetivo.»

A tendência subjacente continua a ser decrescente. Em 2019, oito Estados-Membros registaram os mais baixos números desde sempre de vítimas mortais: a Croácia, a Finlândia, a França, a Alemanha, a Grécia, a Letónia, o Luxemburgo e a Suécia. Porém, os progressos abrandaram na maioria dos países. Consequentemente, a meta da UE de reduzir para metade o número de vítimas mortais em acidentes rodoviários entre 2010 e o final de 2020 não poderá ser alcançada. É provável que, na sequência das medidas adotadas para combater o coronavírus, o número de vítimas mortais em acidentes rodoviários seja suscetível de diminuir significativamente em 2020. Porém, tal não será suficiente para atingir a meta almejada.

Embora se verifique uma convergência no desempenho dos Estados-Membros em matéria de segurança rodoviária, o número de vítimas mortais em acidentes rodoviários ainda é quatro vezes superior no país com pior desempenho do que no país com o melhor desempenho. As estradas mais seguras foram as da Suécia (22 vítimas mortais/milhão de habitantes) e da Irlanda (29/milhão), enquanto a Roménia (96/milhão), a Bulgária (89/milhão) e a Polónia (77/milhão) registaram as taxas de mortalidade mais elevadas em 2019. A média da UE foi de 51 vítimas mortais por milhão de habitantes.

Alguns países realizaram progressos consideráveis: A Grécia, a Espanha, Portugal, a Irlanda, os três países bálticos (a Letónia, a Lituânia e a Estónia) e a Croácia registaram reduções superiores à média (entre 30 e 40 %) no número de vítimas mortais em acidentes rodoviários.

Contexto

No âmbito da sua política de segurança rodoviária para 2021-2030, a UE estabeleceu uma nova meta para a próxima década de reduzir para metade o número de vítimas mortais e, pela primeira vez, também o número de feridos graves até 2030. A Declaração de Estocolmo, de fevereiro de 2020, abre caminho a um maior empenhamento político a nível mundial para a próxima década.

Estima-se que, por cada vida perdida, mais cinco pessoas sejam gravemente feridas, com consequências irreversíveis para as suas vidas (cerca de 120 000 pessoas em 2019). Os custos externos dos acidentes rodoviários foram estimados em cerca de 280 milhões de EUR, ou seja, cerca de 2 % do PIB da UE.

Plano de ação estratégico para a segurança rodoviária da Comissão e o quadro político de segurança rodoviária na UE para o período de 2021-2030 definem igualmente planos ambiciosos no domínio da segurança rodoviária para alcançar a meta de zero vítimas mortais em acidentes rodoviários até 2050 («Visão Zero»).

Para concretizar a «Visão Zero», a Comissão está a implementar o Sistema Seguro a nível da UE. Este Sistema Seguro implica veículos mais seguros, uma infraestrutura mais segura, uma melhor utilização do equipamento de proteção, velocidades inferiores e uma melhor assistência pós-colisão. Além disso, a UE procurará assegurar uma melhor aplicação de medidas coercivas transfronteiriças relativas às infrações à segurança rodoviária, a digitalização das cartas de condução, bem como novas formas de ajudar os Estados-Membros com registos de segurança rodoviária comparativamente deficitários.

PARA MAIS INFORMAÇÕES

NOTA INFORMATIVA: Estatísticas da segurança rodoviária relativas a 2019: O que está por detrás dos números?

Iniciativas da Comissão em matéria de segurança rodoviária e estatísticas da segurança rodoviária na UE

Número de vítimas mortais em acidentes rodoviários por milhão de habitantes – dados preliminares relativos a 2019*

  2010 2018 2019 Variação percentual 2018-2019 Variação percentual 2010-2019
Bélgica 77 53 56 6 % -24 %
Bulgária 105 87 89 3 % -19 %
Chéquia 77 62 58 -6 % -23 %
Dinamarca 46 30 35 20 % -20 %
Alemanha 45 40 37 -7 % -16 %
Estónia 59 51 39 -22 % -34 %
Irlanda 47 29 29 1 % -33 %
Grécia 113 65 65 -1 % -45 %
Espanha 53 39 36 -6 % -31 %
França 64 49 48 0 % -19 %
Croácia 99 77 73 -6 % -30 %
Itália 70 55 55 -1 % -20 %
Chipre 73 57 59 6 % -13 %
Letónia 103 78 69 -12 % -39 %
Lituânia 95 62 66 6 % -38 %
Luxemburgo 64 60 36 -39 % -31 %
Hungria 74 65 62 -5 % -19 %
Malta 31 38 32 -11 % 23 %
Países Baixos 32 35 34 -3 % 9 %
Áustria 66 46 46 0 % -26 %
Polónia 103 76 77 0 % -26 %
Portugal 80 66 61 -8 % -33 %
Roménia 117 96 96 0 % -22 %
Eslovénia 67 44 49 13 % -25 %
Eslováquia 65 48 51 7 % -25 %
Finlândia 51 43 37 -14 % -24 %
Suécia 28 32 22 -32 % -17 %
UE 67 52 51 -2 % -23 %
Reino Unido 30 28 28 0 % -3 %
Suíça 42 27 22 -20 % -43 %
Noruega 43 20 20 1 % -48 %
Islândia 25 52 17 -67 % -25 %

 

* Os valores de 2019 baseiam-se em dados provisórios para alguns países e podem ser objeto de pequenas alterações quando os dados finais forem publicados no outono de 2020. As variações percentuais incluídas no gráfico baseiam-se no número absoluto de vítimas mortais e não na taxa por milhão de habitantes. Salvo indicação em contrário, todos os dados agregados da UE refletem a situação na UE sem o Reino Unido. Embora tal conduza inevitavelmente a um menor número de vítimas mortais na União, a taxa por milhão de habitantes da UE aumentou devido ao desempenho comparativamente bom do Reino Unido em matéria de segurança rodoviária.