Posted in Destaque, Notícias
29 de Outubro de 2021

Relatório da Comissão sobre incêndios florestais: alterações climáticas mais visíveis a cada ano

Hoje, o Centro Comum de Investigação da Comissão apresentou a 21.ª edição do seu relatório anual sobre os incêndios florestais na Europa, no Médio Oriente e no Norte de África, que abrange o ano de 2020.

Após o pior ano no que concerne a incêndios florestais até à data, 2019, durante o ano de 2020 houve também vários incêndios que queimaram vastas áreas de terreno natural na Europa. Apesar do nível reforçado de preparação nos países da UE, foram queimados cerca de 340 000 hectares (ha) em 2020 — uma área 30 % superior à do Luxemburgo. A Roménia foi o país mais afetado em 2020, seguida de Portugal, Espanha e Itália. Este ano, a UE reforçou a sua capacidade para ajudar os países nesta época de incêndios, tendo esta ajuda sido amplamente utilizada para combater os grandes incêndios que assolaram a região mediterrânica durante o verão. No quadro da rescEU, o Mecanismo de Proteção Civil da UE foi modernizado com uma frota de aviões de combate a incêndios em 2019, reforçando a sua capacidade de prestar assistência aos países durante esta época de incêndios. As alterações climáticas são também mais visíveis a cada ano que passa: no final de junho deste ano tinham sido queimados cerca de 130 000 ha, o que representa o início tradicional da época de incêndios. Os incêndios já não afetam apenas os países do Sul, visto constituírem também uma ameaça crescente para a Europa Central e Setentrional. Mais informações no comunicado de imprensa e no relatório.