Posted in Notícias
7 de Junho de 2019

Mais de 85 % das zonas balneares europeias têm excelente qualidade da água

Segundo o mais recente relatório anual sobre a qualidade das águas balneares europeias, mais de 85 % das zonas balneares monitorizadas em toda a Europa no ano passado satisfaziam as mais rigorosas normas de qualidade «excelente» quanto à limpeza das águas. Os resultados, publicados, fornecem uma boa indicação quanto às zonas em que as águas balneares de melhor qualidade podem ser encontradas neste verão.

Uma percentagem avassaladora (95,4 %) das 21 831 zonas balneares monitorizadas nos 28 Estados-Membros satisfaz os requisitos mínimos de qualidade ao abrigo das regras da UE, segundo o relatório do presente ano, publicado pela Comissão Europeia e pela Agência Europeia do Ambiente (EEA). 300 zonas balneares monitorizadas na Albânia e na Suíça foram também incluídas no relatório.

A percentagem de zonas balneares que satisfazem as mais rigorosas normas de qualidade «excelente» subiu ligeiramente de 85,0 % em 2017 para 85,1 % no ano passado. De 2017 para 2018, a percentagem daquelas que satisfizeram os requisitos mínimos de qualidade «suficiente» caiu de 96 % para 95,4 %. Esta pequena descida deve-se à abertura de novas zonas balneares nas quais ainda não está disponível o conjunto de dados de quatro épocas balneares requerido pela Diretiva para a classificação. Em 2018, 301 zonas balneares na UE, Albânia e Suíça (1,3 % do total) foram classificadas como tendo qualidade da água «medíocre». Este valor é ligeiramente inferior ao verificado em 2017 (1,4 %).

Os requisitos das águas balneares estão previstos na Diretiva Águas Balneares. A aplicação das regras da diretiva ajudou a melhorar significativamente a qualidade das águas balneares na Europa nos últimos 40 anos. A monitorização e gestão efetivas introduzidas ao abrigo da diretiva, associados aos investimentos no tratamento de águas residuais urbanas, conduziram a uma redução drástica das águas residuais não tratadas ou parcialmente tratadas de origem urbana e industrial rejeitadas no meio hídrico. Ao abrigo das regras, as autoridades locais recolhem amostras de água durante a época balnear em zonas balneares oficialmente identificadas. As amostras são analisadas para dois tipos de bactérias indicadoras da presença de poluição proveniente das águas residuais ou da agropecuária.

 

Outras conclusões importantes:

  • Em quatro países, 95 % ou mais das zonas balneares apresentaram excelente qualidade da água: Chipre (99,1 % das zonas balneares), Malta (98,9 %), Áustria (97,3 %) e Grécia (97 %).
  • Todas as zonas balneares analisadas em Chipre, Eslovénia, Grécia, Letónia, Luxemburgo, Malta e Roménia alcançaram, pelo menos, uma qualidade «suficiente» em 2018.
  • Os três países onde se regista o número mais elevado de zonas balneares com água de qualidade «medíocre» são a Itália (89 zonas balneares ou 1,6 %), a França (54 zonas balneares ou 1,6 %) e a Espanha (50 zonas balneares ou 2,2 %). Em comparação com 2017, o número de zonas balneares com a classificação «medíocre» em França diminuiu (de 80 em 2017 para 54 em 2018), enquanto se registou um aumento na Itália (de 79 para 89) e em Espanha (de 38 para 50).

Mais informações

Relatórios nacionais

Mapa interativo sobre o desempenho de cada zona balnear

Diretiva Águas Balneares

EEA, Estado das Águas Balneares

Qualidade das águas balneares