Posted in Destaque, Notícias
18 de Fevereiro de 2020

Mais confiança na economia, emprego, instituições nacionais e europeias

Foi publicado o mais recente relatório sobre a opinião pública em Portugal relativamente à União Europeia, extraído do Eurobarómetro n.º 92. O trabalho de campo foi realizado entre os dias 14 e 29 de novembro de 2019, cerca de mês e meio após as eleições legislativas de 4 de outubro de 2019.

No que respeita à situação económica do país, a avaliação dos portugueses é mais positiva que a do período homólogo de 2018, tanto quanto às perceções otimistas (de 37 para 44 %) quanto às pessimistas (de 61 para 54%). Embora a perceção do estado da economia nacional mantenha um saldo negativo, Portugal encontra-se agora apenas a 3 pontos percentuais da média europeia de 47%.

A situação económica do agregado familiar é percecionada de forma mais positiva, com uma larga maioria a avaliá-la positivamente (67%), mantendo-se a tendência de melhoria registada nos Eurobarómetros do Outono de 2018 e da Primavera de 2019. Ainda assim, o saldo positivo é, entre os portugueses, inferior à média da UE. O clima económico favorável contribui para que os portugueses sejam mais otimistas do que a média dos cidadãos da EU relativamente aos próximos meses: mais de um terço pensa que a situação da economia nacional irá melhorar no próximo ano (o valor mais alto entre os 28 Estados-membros); 31% pensa que a situação económica na UE irá melhorar, proporção muito superior à média europeia (19%) e só superada na Roménia (33%).

Esta tendência positiva no plano económico reflete-se na esfera política. Os portugueses avaliam positivamente o funcionamento da democracia nacional, com cerca de 61% de avaliações favoráveis, acima da média europeia de 54%.

A saúde e a segurança social são os temas que mais preocupam os portugueses, sendo referidos por 44% dos inquiridos, mais 11 pontos percentuais do que no período homólogo de 2018: enquanto no Outono de 2018, Portugal surgia como o décimo país a elencar este problema, neste Eurobarómetro é o terceiro país mais preocupado com a saúde e a segurança social, atrás da Finlândia (48%) e da Eslováquia (45%).

Em quebra está a preocupação dos portugueses relativamente à dívida pública: no Outono de 2018 preocupava 15% dos portugueses; na primavera de 2019 tinha descido para 13%, mas ainda acima da média europeia, que se mantinha nos 10%. Neste Outono a dívida pública preocupa apenas 7% dos portugueses, idêntico à média da UE.

No que diz respeito às atitudes em relação à Europa, a opinião pública portuguesa continua substancialmente pró-europeia: 59% dos portugueses têm uma imagem positiva da UE, 29% neutra e 11% negativa. Estes valores são superiores à média europeia (42%) e só são superados na Irlanda (63%) e Bulgária (61%). Apenas 25% considera que Portugal poderia enfrentar melhor o futuro fora da UE, sendo entre os jovens e os estudantes que o sentimento de cidadania europeia é particularmente intenso (94%). Interrogados sobre o que é que para eles a UE significa, 59% dos portugueses menciona a liberdade de circulação e 42% a moeda única, de forma semelhante mas mais acentuada do que os seus congéneres europeus.

Mais informações: