Posted in Destaque, Notícias
18 de Junho de 2020

Investimento de 83 milhões de euros para melhorar metro de Lisboa

A Comissão Europeia aprovou um investimento de 83 milhões de euros do Fundo de Coesão para melhorar a rede de metro em Lisboa, Portugal. O projeto irá melhorar as ligações, eficiência e segurança das linhas de metro da capital portuguesa. Vai ligar a linha amarela, que serve a zona com a maior densidade de empregos, com a linha verde, tornando-a circular. Depois de concluída, a rede de metro melhorada reduzirá os estrangulamentos e os tempos de viagem na área metropolitana de Lisboa.

Elisa Ferreira, comissária europeia da Coesão e Reformas, declarou: «Este projeto trará benefícios para a área metropolitana de Lisboa: ligações mais fáceis entre todos os modos de transporte público, tempos de viagem mais curtos, redução das emissões de CO2 e melhor acesso a estes serviços, nomeadamente para as pessoas com mobilidade reduzida.»

No âmbito da gestão partilhada, cabe ao Estado-Membro selecionar os projetos em conformidade com os programas operacionais. No caso dos «grandes projetos», tal como o alargamento do metro de Lisboa, a Comissão Europeia deve autorizar o cofinanciamento, com base numa notificação do Estado-Membro.

Portugal solicitou, em 12 de março, o apoio do Fundo de Coesão para a conclusão da «linha amarela» circular e forneceu à Comissão todas as informações necessárias. A avaliação técnica da Comissão revelou que se justificava a contribuição financeira do Fundo de Coesão.

O projeto irá também assegurar uma melhor ligação entre o centro urbano da cidade e a periferia, especialmente para as pessoas que se deslocam a partir dos concelhos de Oeiras, Cascais, Almada, Seixal e Montijo até ao Cais do Sodré e aqueles que usam as rotas de Sintra/Azambuja e Sul/Setúbal para chegar a Entrecampos.

Este investimento vai melhorar as ligações entre vários modos de transporte público: comboio, metro, barco e autocarro. Os trabalhadores pendulares, incluindo os que têm mobilidade reduzida, beneficiarão de um melhor acesso aos transportes públicos, tempos de viagem mais curtos, menos tempo de espera nas estações e menos transbordos entre modos de transporte. Um novo sistema de sinalização e dez novos comboios impulsionarão a eficiência e a segurança.

Estima-se que a utilização dos transportes públicos venha a aumentar significativamente após a conclusão do projeto – prevista para 2024 – enquanto o transporte automóvel irá diminuir cerca de 25 milhões de passageiros-quilómetro. Com isto ver-se-á a redução do consumo de energia e as emissões de CO2 em cerca de 5 000 toneladas por ano.

De um modo geral, as ligações melhoradas contribuirão para a criação de emprego na região, uma vez que tornará Lisboa mais atrativa para as empresas e os investimentos.

Fundo de Coesão visa reduzir as disparidades económicas e sociais e promover o desenvolvimento sustentável e destina-se aos Estados-Membros com um Rendimento Nacional Bruto por habitante inferior a 90% da média da UE. Entre 2014 e 2020, o Fundo de Coesão atribuiu 63,4 mil milhões de euros a projetos ligados a infraestruturas de transportes e a projetos com benefício ambiental.

Mais informações sobre o Fundo de Coesão.