Comissão e OCDE identificam os principais desafios da integração dos migrantes

A Comissão e a OCDE publicam recentemente um relatório onde identificam os principais desafios da integração dos migrantes e formulam recomendações concretas para lhes dar resposta.

Com base em exemplos de boas práticas de grandes cidades europeias, incluindo Amesterdão, Atenas, Berlim, Paris e Roma, o relatório aponta 12 elementos fundamentais que devem ser considerados pelos decisores e profissionais aos níveis local, regional e nacional na conceção e execução dos programas de integração. As recomendações incidem em setores de intervenção como a saúde, o emprego, a habitação e a educação, e vão desde favorecer uma melhor correspondência das competências dos migrantes com as necessidades dos mercados de trabalho locais à criação de espaços partilhados para as comunidades se encontrarem e socializarem.

O relatório aborda a situação dos migrantes nos países da OCDE, analisando onde se fixam, a eficácia dos respetivos percursos de integração e quais os desafios com que se deparam, por exemplo, no acesso aos mercados de trabalho locais. Propõe soluções para fazer face à fragmentação das políticas nacionais de integração e promover uma maior coordenação a todos os níveis — nacional, regional e local. Destaca a necessidade de reforçar os controlos e conclui que essa tarefa será mais bem assegurada com o envolvimento de ONG, parceiros comerciais e os próprios migrantes, através de avaliações participativas e de inquéritos. Por último, o relatório descreve como aceder mais eficazmente a recursos financeiros, como, por exemplo, os fundos da UE, para desenvolver programas de integração.

Mais informações em:

Working together for local integration of migrants and refugees – relatório da OCDE

Ficha informativa sobre o relatório

 

 

You may also like...