Comissão divulga quadro de indicadores sobre domínio das tecnologias digitais na UE

De acordo com o quadro anual de indicadores da Agenda Digital da Comissão, os europeus têm redes e serviços digitais de base, mas não estão a usufruir dos principais benefícios, atuais e futuros, da revolução digital, devido a problemas nos mercados das telecomunicações e das tecnologias digitais em geral na Europa.

A Comissão irá adotar, ainda este ano, propostas de medidas concretas na sequência do pedido do Conselho Europeu de criação de um mercado único das telecomunicações, com vista a solucionar os problemas confirmados pelos dados divulgados.

Eis as principais conclusões que se podem retirar do quadro de indicadores da Agenda Digital da Comissão:

Progressos na Internet:

·  A banda larga de base está agora praticamente em todo o lado na Europa — o desempenho do acesso por satélite melhorou, contribuindo para cobrir os 4,5 % da população não cobertos pela banda larga de base fixa. A Comissão procura agora promover uma maior adesão ao acesso por satélite nos casos em que este possa preencher as lacunas existentes.

·  A banda larga rápida chega hoje a metade da população — 54 % dos cidadãos da UE têm banda larga disponível com débitos superiores a 30 Mb/s.

·  O acesso à Internet é cada vez mais móvel — 36 % dos cidadãos da UE têm acesso à Internet através de computador portátil ou de outro aparelho móvel (o acesso por telemóvel aumentou de 7 %, em 2008, para 27 %, em 2012). A cobertura móvel de quarta geração (LTE) triplicou num ano, tendo atingido 26 %.

Áreas problemáticas

· Apenas 2 % dos agregados familiares aderiram a serviços de banda larga ultrarrápida (acima de 100 Mb/s), ou seja, está-se longe do objetivo da UE para 2020 de 50 %.

· 50 % dos cidadãos da UE não têm ou têm reduzidas qualificações informáticas — as qualificações dos utilizadores de TIC não melhoraram no último ano, nem qualitativa nem quantitativamente. 40 % das empresas que recrutam ou procuram recrutar especialistas em informática têm dificuldade em fazê-lo, prevendo-se que o número de vagas por preencher neste domínio atinja 900 000 em 2015. A recém-lançada grande coligação para a criação de empregos na área digital orientará a sua atividade para a solução deste problema.

Para mais informações:

Quadro de indicadores da Agenda Digital

Perfis por país do quadro de indicadores: ver a evolução da banda larga, da utilização da Internet, da administração pública em linha, da regulamentação das telecomunicações e da investigação em cada país

A grande coligação para a criação de empregos na área digital

You may also like...

Deixe uma resposta